Atelier 16 B

A Cerâmica está relacionada
com as nossas mais antigas raízes.

Responsáveis:
Joana Simão, Henriette Arcelin

Morada:
Largo dos Trigueiros, Nº 16 B
1100-611 Lisboa

Telefone:
+351 91 653 26 11

Site:
www.henriettearcelin.com

Facebook:
@AtelierJoanaSimao

E-mail:
joaanasimao@gmail.com

Áreas de Trabalho

Cerâmica / Decoração / Olaria

Maquinaria

Mufla

Área

20 m2

Aberta desde

2014
Atelier 16 B – Fotografias: Mariella Gentile

Joana Simão chegou à cerâmica por acaso.

Começa por acaso. Joana Simão estava a tirar um curso na área da educação, quando percebo que não é o que queria e decide procurar, em Lisboa, algo que tivesse a ver com o trabalho manual, que lhe permitisse trabalhar diretamente com os materiais. Nesse período que encontra a escola do Ar.Co – Centro de Comunicação Visual, que disponibilizava vários cursos, inclusive o de cerâmica. Inscreve-se em 2005 e faz o curso de quatro anos. Assim que acaba o curso, em 2009, começa a trabalhar.

Considera que a cerâmica está relacionada com as nossas raízes mais antigas, dos nossos antepassados e que, de certa forma, nos liga à terra. Assim, começa por desenvolver trabalhos de textura, peças relacionadas com a natureza e o mar, que fazem lembrar os corais. Desenvolve, nessa linha de pensamento, uns candeeiros. Os seus clientes vão desde aqueles que passam à porta do ateliê e compram uma lembrança, àqueles que fazem grandes encomendas, sobretudo de peças decorativas. Nesse espetro inclui-se uma empresa francesa, que lhe encomenda ofertas para os clientes, e um designer que lhe pede para executar uma ideia dele — um conjunto de chávenas de café. Mas há também pessoas que pedem coisas mais pontuais, como candeeiros e peças para decoração. Normalmente, os clientes encontram o ateliê pelo boca-a-boca. Eventualmente pode ser alguém que passa à porta da oficina e se interessa pelo trabalho e também há pessoas que procuram na internet.

Estar no centro da cidade é essencial para dar a conhecer todo o processo de desenvolvimento do trabalho em cerâmica às pessoas.

O espaço do ateliê no Largo dos Trigueiros foi uma oportunidade. Estava há algum tempo à procura e encontra uma loja fechada. Na altura a zona não era muito movimentada e, só quando se mudou, é que começam a aparecer os turistas e mais dinamismo. No largo não havia muita coisa e, entretanto, abriram restaurantes e outros ateliês. Estar no centro da cidade é essencial para dar a conhecer todo o processo de desenvolvimento do trabalho em cerâmica às pessoas. Aqui não há barreiras, as pessoas podem ficar e observar. No Ateliê Joana Simão há cursos que estão sempre a decorrer. Com regime mensal, ensina-se todo o processo da cerâmica, desde a construção da peça, à cozedura, à vidragem, utilizando as técnicas do rolo, dos moldes, das lastras. Começa-se a partir de uma peça simples e, conforme a pessoa se vai sentindo mais à-vontade, pode construir peças mais complexas.