Maria Augusta e Maria do Rosário

Os clientes podem trazer os
seus móveis para restaurar.

Responsáveis:
Maria Augusta Nabais e Maria do Rosário Mourão

Telefone:
+351 91 409 77 27
+351 93 633 77 10

E-mail:
mrosariomourao@gmail.com
manabais43@gmail.com

Áreas de Trabalho

Conservação e restauro de mobiliário / Formação

Área

18 m2

Aberta desde

2012
Maria Augusta e Maria do Rosário – Fotografias: Mariella Gentile

Interessa, às duas, orientar pessoas que estejam a iniciar o ofício do restauro.

Maria Augusta e Maria do Rosário conhecem-se como colegas na Quatro Montras, uma oficina em Santos. Maria Augusta tinha frequentado a licenciatura em Biologia na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, mas gostava muito de peças antigas, indo com frequência a leilões e antiquários. Depois da experiência na Quatro Montras, vai para o ateliê em Sintra de Maria José Costa, onde aprende a fazer restauro de pintura de cavalete. Já Maria do Rosário, tira o curso de Decoração e Mobiliário na Fundação Ricardo Espírito Santo Silva. Depois dá aulas de trabalhos manuais, mas o interesse por madeiras é mais forte. Um dos irmãos entusiasma-a a enveredar pelo restauro. Ainda vai tirar o curso Teologia, na Universidade Católica Portuguesa e, quando termina, quer aprender numa oficina e vai procurar um mestre que a quisesse ensinar. É então que entra para as Quatro Montras e começa a aprender a aprender o ofício de restauro. Acaba por ficar aí empregada durante oito anos e posteriormente trabalha na oficina de Paulo Barreiros Cardoso, também durante oito anos.

Entre os seus trabalhos mais relevantes, Maria Augusta e Maria do Rosário já restauraram uma cómoda alemã em marchetaria, do princípio do século XX e fizeram a recuperação de uma vitrine marmoreada e pintada com desenhos decorativos.

Contudo, a sua experiência era sobretudo nos acabamentos dos móveis e sente a necessidade de aprender Marcenaria. Decide então fazer o curso de Artes e Ofícios das Madeiras, no Instituto de Artes e Ofícios da Fundação Ricardo do Espírito Santo Silva. Durante esse período surge a ideia de formarem uma oficina onde os clientes pudessem trazer os seus móveis para restaurar. Interessa, às duas, orientar pessoas que estejam a iniciar o ofício do restauro.

Entre os seus trabalhos mais relevantes, Maria Augusta e Maria do Rosário já restauraram uma cómoda alemã em marchetaria, do princípio do século XX e fizeram a recuperação de uma vitrine marmoreada e pintada com desenhos decorativos. Os seus clientes são sobretudo particulares e antiquários.